"Nem vem tirar meu riso frouxo, com algum conselho. Que hoje eu passei batom vermelho. Eu tenho tido a alegria como dom, em cada canto eu vejo o lado bom."
Maísa, 14 anos, Brasil.

Quem me dera estar ao ar livre. Quem me dera ser de novo aquela criança, meio selvagem, audaciosa e livre… e rir das ofensas em vez de me preocupar com elas! Por que estou tão mudada? Por que ferve o meu sangue com tanta facilidade com umas míseras palavras?

O Morro dos Ventos Uivantes.   (via promessasvazias)
As vezes da vontade de fugir de tudo, ficar só, nada mais do que eu e minha bagagem de decepções e medos.
Paola Fredrich  (via umagarotaperdida)
Já não dói. Acabou e eu tô bem, acredita? As músicas que descreviam o nosso amor já não fazem mais efeito sobre mim. Eu te olho e você é como um desconhecido. Você mudou. Ou talvez eu nem cheguei a te conhecer de verdade.
Laura Mello.    (via renascer)
É, pois é, eu esqueço que fico brava contigo.
Vancouver  (via sintoso)
Todas as vezes em que eu disse que precisava de você, eu falava sério. Precisava da tua paz, da tua calma, do teu jeito de ser, precisava ser o motivo da tua felicidade. Precisar de você já era mais que uma vontade, era uma necessidade, ver o teu sorriso alegrava o meu dia. Precisava fazer do teu abraço a minha casa, a tua voz era melodia, o teu cheiro ficava preso no vento e em qualquer canto que eu ia, eu o sentia. E era de você que eu precisava para me reerguer, precisava de você do meu lado, para que tudo fizesse sentido, fazer de você uma ancora entre o abismo de horrores e a plena felicidade, a cada dia um novo motivo para seguir em frente.
Fraquejou and Ensinou  (via renascer)
Eu só quero que você entenda que eu não gosto quando você vai embora. Não gosto quando você esconde o que sente. Não gosto quando você não me dá a menor bola. Se eu falo que está tudo bem, quero que você pergunte de novo. E de novo. De vez em quando eu finjo que tudo está numa boa, mas tenho o meu lado fraco. Preciso de colo. De atenção. Se eu estou triste, quero você ao lado. Se eu estou brava, quero você ao lado. Se eu estou num dia bom, quero você ao lado. Se meu dia foi péssimo, quero você ao lado.
Clarissa Corrêa   (via assoprador)
Eu me deitei e dormi; acordei, porque o Senhor me sustentou.
Salmos 3:5. (via shelter-is)
Vocês terminaram o namoro. No dia seguinte, tu vai ao médico e, bingo, qual o nome dele? João. Tá andando na rua e escuta alguém gritando “Joãoooooo”. Na fila do supermercado, João. João. João. Parece que todo mundo resolveu ter o mesmo nome do ex. Nossa, nunca vi tantos carros verde esmeralda, do mesmo modelo que o dele! De hora em hora toca a nossa música no rádio. Parece até conspiração, certo? Errado. Tudo depende do nosso ponto de vista. Se olharmos com cara feia pra vida, ela vai nos retribuir da mesma forma. Vai nos dar o troco. Não existe conspiração internacional. João? Tem muitos. Carros verde esmeralda? Diversos. A música toca a todo instante? Sim. É que tu nunca tinha percebido isso… até ficar sem o João. Se o problemão no trabalho te afetou, com certeza vais ficar mais sensível… Isso faz com que veja tudo sob outro prisma. Se achar que está tudo ruim, tudo ficará ruim mesmo.
Clarissa Correa.  (via rup-til)
Pensa em suicídio? Vá em frente, mas antes, tente fazer isso - roube chocolate no walmart, prove sorvete de tangerina, dirija à 220 km por hora em uma rodovia, grite o mais alto que puder dentro de um túnel, zere Sonic, Pacman e Super Mario, almoce com um policial, pule de bang-jump, escale uma montanha, leia trinta livros, vá ao show da sua banda favorita, faça uma tatuagem, apaixone pessoas que você não vai amar até descobrir que na brincadeira se apaixonou mesmo, aprenda a tocar um instrumento, escreva uma poesia, visite um parente distante e finja que as conversas da família te interessam, segure o ar por dois minutos sem soltar (não morra tentando essa parte), escreva seu texto favorito nas paredes do seu quarto, beba até vomitar, chore em um lugar público pra ver se alguém irá te consolar, piche uma frase de efeito em um muro, coma até não aguentar mais, ande de bicicleta sem as mãos, encoste a língua no nariz, cante no ventilador, abrace um mendigo, invoque satã com um tabuleiro de ouija e fique com o cu na mão. Depois de tentar tudo isso, faça o que achar melhor, que a vida é uma merda ninguém pode negar, mas algumas loucuras tornam tudo mais suportável.
Sean Wilhelm.   (via assoprador)
É amor quando eu acordo sorrindo pra você todas as manhãs. É amor quando o meu pensamento te acompanha durante o decorrer do dia. É amor o que eu sinto quando deito a cabeça no travesseiro e fico imaginando nós dois juntos. É amor tudo o que eu faço, tudo o que eu vivo e o que eu respiro. É amor.
Plenitude (via velejo)